Nasa divulga foto de fenda que pode gerar iceberg maior que Nova York

Caso se desprenda, bloco de gelo localizado na Antártida terá 907 km².
A rachadura tem 30 km de comprimento e 80 metros de espessura.

 A Nasa divulgou esta semana uma nova imagem de uma fenda de 30 km de comprimento, na Antártida, que pode gerar um iceberg maior que Nova York. Ele teria 900 km², contra 785 km² da cidade americana. A área do bloco de gelo corresponderia a 60% da cidade de São Paulo.

Localizada no glacial da Ilha Pine, a fenda foi descoberta em outubro de 2011 por cientistas do projeto IceBridge, da Nasa, que analisa mudanças nas camadas de gelo que cobrem a Antártida e a Groenlândia, desde 2009.

A fotografia mostra o bloco de gelo do alto, à distância.

A rachadura, que tem 80 metros de espessura e 60 metros de profundidade, aparece na imagem como um risco.

Já em novembro do ano passado, a Nasa havia divulgado uma foto mais próxima da rachadura.

Fotografia da Nasa mostra fenda que pode formar iceberg maior que Nova York (Foto: Nasa/ GSFC/ METI/ ERSDAC/ JAROS, and U.S / Japan ASTER Science Team)
Fotografia da Nasa mostra fenda que pode formar iceberg maior que Nova York (Foto: Nasa/ GSFC/ METI/ ERSDAC/ JAROS, and U.S / Japan ASTER Science Team)

Segundo a Nasa, é muito difícil prever quando o iceberg pode se desprender, mas ela estima que o processo deve ocorrer nos próximos meses. A rachadura faz parte de um ciclo natural e não acarreta risco ambiental, explicou para a imprensa o chefe do projeto IceBridge, Michael Studinger.

Já Ted Sambos, especialista em glaciação do Centro de Dados de Neve e Gelo dos Estados Unidos, afirmou, em entrevista para a National Geographic nesta quinta-feira (2), que a fenda está se formando com um padrão diferente, que levaria a uma “aceleração da glaciação”, ou seja, uma movimentação mais rápida do iceberg em direção ao mar.

Isso seria motivo de preocupação, já que a glacial da Ilha Pine “é a que mais contribui para o aumento do nível do mar”, considerou.

Nasa fotografa rachadura quilométrica em geleira na Antártida

Nasa fotografa rachadura quilométrica em geleira na Antártida

Cientistas preveem que o fenômeno formará um iceberg de 880 km².
Agência espacial tem projeto para monitorar camadas de gelo.

Do Globo Natureza, com agências

Operação da Nasa na região antártida flagrou uma grande rachadura no glaciar da Ilha Pine. Os cientistas estimam que a ruptura vai aumentar, fazendo com que um iceberg de cerca 880 km² se separe. A observação do fenômeno foi feita em vôos realizados em outubro pela equipe IceBridge, um conjunto de cientistas e técnicos da Nasa que analisam as mudanças nas camadas de gelo que cobrem a Antártida e a Groenlândia desde 2009.

Rachadura fotograda em sobrevoo com avião DC-8 da Nasa. (Foto: Nasa/Divulgação)
Rachadura fotograda em sobrevoo com avião DC-8 da Nasa. (Foto: Nasa/Divulgação)

“Nos voos observamos uma grande fissura que indica que um grande pedaço de gelo está prestes a partir. Trata-se de uma rachadura de 280 metros de largura e de 60 metros de profundidade, mais alta que a Estátua da Liberdade”, disse à imprensa o chefe do projeto IceBridge, Michael Studinger.

O cientista ressaltou que a fissura sobre a geleira da Ilha Pine “faz parte do ciclo natural” de formação dos icebergs na área ocidental da Antártida – uma região “sensível”, disse -, motivo pelo qual não acarreta risco ambiental.

“A rachadura não nos preocupa, faz parte do ciclo natural. Se ocorresse de forma mais frequente poderia causar problemas ambientais’, explicou Studinger. “Sabemos pouco da formação destes icebergs porque não observamos com frequência estes fenômenos. É primeira vez que sobrevoamos uma fissura tão grande. Esperamos que isto ajude a explicar como se formam para poder predizê-las”, apontou Studinger, cujas pesquisas se prolongarão até 2015.

O projeto IceBridge, a maior pesquisa aérea das camadas de gelo do mundo, realiza medições anuais da elevação das geleiras na Antártica e na Groenlândia. Com até seis aviões equipados com uma grande variedade de instrumentos de observação e medição, os cientistas da Nasa registram dados na estrutura das geleiras com o objetivo de determinar o impacto da mudança climática no derretimento destas extensas massas de gelo.

Extraído de: http://g1.globo.com/natureza/noticia/2012/02/nasa-divulga-foto-de-f…

http://g1.globo.com/natureza/noticia/2011/11/nasa-fotografa-rachadu…

Anúncios

Faça um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: